SOBRE CASAS QUE MOREI – 1

Lembrei ontem, enquanto estava deitada na cama postergando a hora de me levantar, das casas que marcaram minha vida. Foi uma sensação diferente, que há tempos eu não sentia: nostalgia de coisas boas.

Deitada, ao observar o céu azul manchado de branco, me lembrei da primeira casa que morei e de momentos que passei nela. Como era bonito e charmoso o meu quarto, enquanto eu estava na minha caminha forrada de colcha rosa cintilante, meu quarto pintado de rosa bem claro com uma faixa no meio da parede com desenhos de cavalinhos de madeira, e meu pai esperando eu terminar de tomar meu leite para ir dormir. A mesma casa em que, nos fundos, papai sentou-se na mureta para olhar o desenho que eu havia feito em um papel branco com tintas de uma aquarela infantil que ele comprou pra mim, sem perceber que sentou em cima dos óculos e os quebrou. Como sempre, ele deu risadas para tentar consolar meu desespero e culpa.

Nessa mesma casa, eu e meu irmão tivemos a famosa briga do sofá. Ele queria assistir Cavaleiros do Zodiaco, e eu Malhação. Uma TV, 2 crianças, 2 programas distintos, só podia dar errado. Começou com a roubada básica do controle remoto, como reação veio um tapa na mão, que passou a um soco e uns tapas mais fortes, até virarmos o sofá e cairmos no chão.  Nunca mais falamos sobre essa briga, ou de TV, ou de desenhos.

Ah! E as tardes de sábado que tirávamos para “dar uma geral na casa”!? Não gostávamos muito de ter que organizar nossos quartos, nem de guardar nossas roupas, mas a recompensa vinha cheia de sabão e agua quando íamos lavar a garagem. Essa nós fazíamos conta de limpar, jogávamos bastante sabão no piso, encharcava de agua e dá-lhe espumas, depois era só cair de barriga e brinca de escorregar.

Me recordei da intensidade de cada cor dos quartos e das aquarelas que eu tanto gostava, foquei nos cheiros do sabão em pó que usava para a garagem que era o mesmo que mamãe usava para lavar as roupas, experimentei os detalhes de cada pedaço de memoria que estava alocado em um local escondido de mim. Usei desses artifícios para escrever, e usei do escrever para não me entregar a outra crise de ansiedade.

 

Entra a morte

Primeiro você achou que era o tempo
Que me deixaria sozinha naquela hora
Eu, docemente te expliquei que isso não me incomodava.

Era bom fazer parte do seu mundo
“Quando eu estou aqui e você está lá,
Por mais inacreditável que seja,
Eu me sinto do seu lado, junto com você”
Foram essas palavras que lhe disse

Logico que você adorou a ideia de não ter que abrir mao de algo para que eu continuasse ali
Mas aí é que está.
Eu realmente não me importo com quantas partidas rolam.

Só que eu ainda me lembro de modo bem claro
Quando você morria de um lado,
Olhava e vinha me beijar rapidinho
Eram aqueles poucos segundos entre a morte e o renascer do seu herói
Que mantinha minha heroína (alma) feliz.

Até que um dia você parou.
E trocou nosso beijo pela verificação.

Fica essa noite

Ultimamente, as coisas não vão muito bem.
Eu estou acumulada de afazeres.
Assim como você.
Parece que a gente esta ficando para depois.
Não é isso que eu quero, então, mesmo no extremo cansaço,
Me arrumo e vou te encontrar.

Acho que você não tem noção da falta que faz
Eu quero seu abraço terno, seu beijo irresistível.
Quero dormir com você de verdade.
Não como se houvesse 15 milhas dentro de uma cama.
Sinto falta de você, de todas as maneiras possíveis.

Tudo vira desculpa pra te encontrar.
E eu sei que estou errada, mais do que o normal.
Só que a minha vontade de fazer a gente dar certo é maior.
Eu vou pedir mais desculpas e eu vou fazer mais.

Você merece o melhor de mim
De todos, você merece mudança.
Do meu drama, você merece carinho.
Do meu choro, você merece cuidado
Do meu amor, ele merece você.
Ele foi feito pra você.

Agora, depois de se aliviar.
Eu te peço desculpas.
E, por favor, fique por perto.
Não só essa noite.

Ily.

Breve relato do samba

Imaginou como seria se tudo não estivesse borrado no inicio. Se ela tivesse sido legal, menos arrogante. E hoje em dia, menos egoísta. Seria assim. “Se naquele dia você foi tudo e fez de mim um anjo”. Um domingo de manhã, o sono já havia escapado, ela resolveu fazer algo para comer enquanto ele dormia. Pouco depois ele acordou e encontrou-a cantarolando e dançando desajeitada ao som de Jorge Ben. Rodou para um lado, deu uma sambadinha que era horrível porque não sabia sambar, mas que era linda porque acompanhava o dia. Acabou nos braços dele. E, ah!, como o domingo estava perfeito.

Defeito

Ou eu dou um jeito de melhorar
Ou continuarei a odiar o reflexo do espelho
Ninguém precisa de alguem assim
Alguém que não sabe o que faz, não sabe quando faz
Só sabe o que quer e a merda que faz.

É como um brinquedo que você tem
Por mais que goste dele, se ele veio com defeito,
Uma hora você vai se irritar com aquela coisinha
E o brinquedo vai ser esquecido.

E vai ser assim.
A diferença é que o brinquedo não se arruma sozinho.
O ser humano tem a capacidade de mudar.
Pelo menos tem a ânsia.
O que não é muito, mas já é algo.

Deixe que deixo

Me olha com carisma
Com jeito de quero mais
Esclarece minha mente
Conforta-me com uma carícia
Me chame pra sair, ou pra ficar
Pra viver ou pra sonhar

Tenha em ti o que admirou em mim
E permita que eu lhe mostre isso.
Mantenho um sorriso ao te ver dormir
E anexo em mim o que te faz sorrir

Comece de onde eu termino
Deixe que a dor vire rosas
Deixe a tristeza esvair por ora
Deixe que eu fique
Deixe estar.

Sobre acordar

Acordei com vontade de te falar sobre seu sorriso, sua calma, seu abraço, aquele olhar que me pediu pra ficar até mais tarde, a dúvida entre te beijar ou te abraçar.

Acordei com vontade de ser domingo pra poder ficar mais tempo ali, pra não ter que sair da cama, pra cuidar de  você, pra não te largar.

Às vezes ainda acho que estou sonhando.

De novo

Acho que eu preciso escrever. De novo. Sobre você. Sobre tudo que vem a mente. De novo.

Eu não sei como fazer as coisas.
Isso provavelmente é falta de experiencia. Falta de vida.
Falta de coragem. Mania de correr.
Costume de fugir. Escapar da vida. Fugir dos problemas. Deixar para depois e nunca fazer. Sentar e ver a vida passar. Fingir que não é comigo por parecer mais fácil desse jeito.
É bom ter motivos para enfrentar o que aparece na vida. É bom ter uma razão em meio a tanto sentimento. É bom ter você por perto.

Seu cheiro é maravilhoso, oh santos, como eu amo esse cheiro. Amo quando estou com uma blusa sua, ou quando estou na minha cama e seu cheiro permanece impregnado na minha roupa. Mas eu amo ainda mais quando te abraço e sinto seu cheiro, vindo de você e não de um paliativo.

E quando vem o medo, a incerteza, o sentimento que estou perdendo a uniquez, bom… Eu te abraço, te seguro com todas as forças como uma tentativa de não te deixar escapar por minhas mãos.

Ontem, na mesa, naquela conversa, eu te contei outra parte de mim, te contei como era o inicio de você em mim, te revelei outro segredo da alma, a timidez ainda domina essa area, apesar de você não ter falado nada a respeito (e eu já estou acostumada com essas situações), eu vi no seu olhar uma faisca, um interesse incomum nesse assunto, um brilho diferente ao me ouvir falar sobre aquilo.

Tem horas que eu acho que você já conseguiu captar todos os sinais de todos os meios que já mandei a você. E até ontem você não sabia da pedra.

E a vontade que eu estou agora é de te abraçar, só que por enquanto é melhor não conversar.

Dialogo do fica

Te trago uma barra de chocolate mais uma garrafa de coca, junto com um sorriso.
Você me chama para um café, jogar conversa fora pra ter mais um momento só nosso. Pra ter mais uma memória alegre. Pra ter um programa. Pra ter eu. Pra ter você. Pra ter paz. Pra ter tempo. Pra ter nós.
Você me abraça e eu só sei sorrir. Não sei ao certo o que dizer, eu nunca sei, temos um diálogo parecido assim:

– Obrigada por estar na minha vida.

– Vou estar nela sempre que você quiser.

– Então vai estar por um bom tempo. Com muitos o’s no meio desse “bom”.

– Quanto tempo?

– Tipo, pra sempre.

Me aconchego no seu abraço, ainda não sei explicar como me encaixo perfeitamente ali. Gosto de imaginar que aquele lugar é meu, que foi desenhado só para os meus braços.

Mantenha.
Me tenha.

Brasa
Gaveta
Bacon
Sapato
Oração
Calma

Seu cheiro
Um abraço
Seu toque
Um choro
Seu olhar
Uma paz

 

Todos que reclamam da segunda-feira é porque não sabem
Como é acordar com um “bom dia” e carinho vindos de você